quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Entrevista em hora de despedida




Aproxima-se a passos largos o dia da despedida do Pe. David. Foram quase dez anos dos treze que leva de ordenação sacerdotal. Quisemos saber o que significaram estes dez anos e propusemos-lhe uma pequena entrevista a que acedeu com a disponibilidade que lhe é habitual:






A 2 de Dezembro de 2001, então com 29 anos e pouco mais de três de ordenação, tomou posse na paróquia da Azoia, a sua primeira paróquia.

Azoia -Quais as expectativas que então o acompanhavam?

Pe. David - Quando se inicia um projecto há sempre muitas expectativas. Vim com uma preocupação ir ao encontro de todos os paroquianos, com o desejo de servir toda a comunidade paroquial. Todos os projectos e iniciativas foram surgindo com o desejo de construir uma comunidade ao jeito das primeiras comunidades cristãs descritas nos Actos dos Apóstolos, onde todos “eram assíduos ao ensino dos Apóstolos, à união fraterna, à fracção do pão e às orações”.

Azoia - E os receios?

Pe. David - Há sempre alguns, mas pouco a pouco foram-se atenuando com o conhecimento crescente da comunidade.

Azoia - Passados estes dez anos, sente que as expectativas se cumpriram?

Pe. David - Ao longo destes dez anos, os sonhos foram surgindo, os projectos foram tomando forma. Por isso, as expectativas também se foram cumprindo, pouco a pouco. Olhando para trás, posso dizer: valeu a pena.

Azoia - O que leva desta experiência e da paróquia da Azoia?

Pe. David - Tenho consciência de que estes anos constituíram uma etapa marcante na minha vida. Por isso, recordarei sempre o trabalho aqui desenvolvido, o projecto que levou a dotar a paróquia dos serviços fundamentais. Recordarei certamente todos aqueles que sonharam, projectaram e tornaram realidade esse projecto de renovação. Recordarei todas as iniciativas que constituíram momentos marcantes na história da paróquia. Recordarei todos os paroquianos, desde as crianças aos idosos, a quem procurei servir durante estes anos.

Azoia - O que gostaria de dizer à paróquia em jeito de despedida?

Pe. David - Na hora da despedida, gostaria de dizer três coisas:
primeiro, pedir desculpa, por nem sempre ter sido o pastor que a comunidade paroquial merecia;
segundo, agradecer a simpatia e a amizade de todos aqueles que sempre me respeitaram no exercício da minha missão e agradecer a colaboração de tantos e tantas que me ajudaram a concretizar muitos projectos;
terceiro, desafiar toda a paróquia a acolher bem o meu sucessor, Pe. Jorge Oliveira, e a disponibilizar-se desde já para colaborar com ele, a quem desejo um frutuoso apostolado
.

2 comentários:

  1. Ai ai, o que vai ser do senhor Padre David sem nós? Quer dizer, temos de admitir que a Azoia tem gente fantástica e muito prestável. Não quero estar agora a atirar nomes para o ar mas... Tânia (tosse)Patrícia. Vai ser difícil viver sem nós :p

    Agora falando mais a sério, a futura paróquia tem muita sorte. Vão ter um Padre muito dedicado e, quase sempre, paciente.
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Ah pois devo dizer que concordo com tudo o que a Tânia disse! Vivemos belos 10 anos na sua companhia mas não pense que isto acaba aqui! Quando menos esperar tem duas jovens a segui-lo pelas missas que vai celebrando... pensa que se viu livre de nós?! Não tão cedo! Vamos contar quantas vezes as veias vão tentar saltar durante as missas futuras! ahahah
    Nós controlamos tudo!

    Muito boa sorte para a nova etapa da sua vida :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar