domingo, 11 de setembro de 2011

Despedida do Padre David

A nossa igreja paroquial foi hoje pequena para acolher todos aqueles que quiseram participar na celebração de despedida do Padre David Rodrigues Barreirinhas.
Foi com muita emoção e algumas lágrimas que a população da freguesia da Azoia se despediu daquele que durante quase 10 anos foi o seu pastor, alguém que muito fez em prol desta comunidade e que deixa saudades em todos aqueles que com eles tiveram o privilégio de privar.
Como foi dito nas palavras finais de despedida, parte o pároco mas o amigo ficará para sempre guardado na nossa memória e no nosso coração.



































































Padre David

A 2 de Dezembro de 2001, tomou posse na paróquia da Azoia o jovem padre David Barreirinhas, com 29 anos de idade e pouco mais de três de ordenação sacerdotal. Esta foi a primeira paróquia a ser-lhe confiada na sua plenitude. Certamente seriam grandes as suas expectativas, a esperança, a vontade de “fazer bem”, mas deveriam ser também muitas as dúvidas, a incerteza, o receio de o não conseguir.
Disse Charles Chaplin: “…Cada pessoa que passa na nossa vida passa sozinha e não nos deixa sós porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós. Essa é a mais bela responsabilidade da vida e a prova de que as pessoas não se encontram por acaso…”
Ao longo destes dez anos crescemos, nós, enquanto pessoas, a solidez da fé, enquanto crentes, a paróquia de Azoia enquanto comunidade religiosa, a freguesia enquanto território identitário que pela acção directa do seu prior, atraiu e recebeu não só muitos cristãos que manifestaram desejo de aqui tomarem sacramentos, muito significativos para as suas vidas, mas também outras ilustres pessoas que não tendo ainda sentindo o dom da fé, têm contudo, com o Padre David laços de amizade muito fortes. Cremos que, por tudo, e foi muito o que deu a esta paróquia, também recebeu dos paroquianos amizade, colaboração, apoio. Acreditamos que também aqui cresceu o padre David, enquanto padre.
Com o dinamismo que lhe é característico reorganizou a paróquia, criando estruturas, físicas e humanas que permitiram esse crescimento, que promoveram a união dentro da paróquia e entre paróquias. O seu dinamismo contribuiu para estreitar as relações entre o que geralmente está ligado à esfera espiritual à esfera temporal, o que se traduziu em mais valias para a paróquia e para a comunidade da freguesia de Azoia.
Recordamos, já com alguma saudade, os consecutivos serões de trabalho, as reuniões diárias, o stress de ver o tempo a passar e o trabalho a aumentar, que tantas vezes motivou o comentário “já não conseguimos trabalhar sem stress”. Mas recordamos também, entre muitas outras coisas, a organização no início de cada ano pastoral e das actividades realizadas com sucesso. Recordamos sobretudo a beleza e serenidade das celebrações, objectivo último e máximo de muito trabalho preparatório.
Este dinamismo, aliado ao modo cativante com que soube atrair e cativar sobretudo as crianças e jovens, a confiança depositadas naqueles que consigo trabalharam e o apoio que sempre sentimos, ficarão certamente gravados na memória de muitos de nós. Para sempre ficará a sua marca nas “nossas vidas e na nossa história”, bem como na história da nossa paróquia.
Espera-o, novo desafio e agora, certamente com mais experiência, sabemos que o irá enfrentar com a mesma determinação e segurança que sempre lhe conhecemos.
Em hora de despedida, parte o pároco, mas o amigo ficará para sempre. E são estes amigos que agora lhe desejam as maiores felicidades, com a certeza que, nesta paróquia da Azoia, terá sempre uma porta aberta.
Obrigado padre David.
Por tudo, Bem-Haja

Sem comentários:

Enviar um comentário